Ética da Compaixão

Regis de Morais

Muitos são os aspectos éticos necessários à consideração do tempo atual, mas nenhum supera a faceta da compassividade em uma época seca e pragmática - ao mesmo tempo intolerante - como esta na qual agora vivemos. Na presente obra, seu autor (filósofo e sociólogo), conquanto motivado por tristes fatos sociais, apresenta abordagem propriamente filosófica, ainda que mencione raízes e posições religiosas e irreligiosas. E, talvez na linha de pensamento de Lessing, de que "livros grandes podem ser grandes males", Regis de Morais aqui se apresenta preciso, enxuto e sem prolixismo. Que o leitor faça sua avaliação.

1a edição
Junho/2012
R$27,00
Preço de capa
978-85-7516-582-9
ISBN
98
Páginas
14 x 21 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris
.

Sumário

Orelha

As mentes mais perceptivas se condoem com a incompassividade dos tempos atuais. Milênios separam as vinganças primitivas do mundo remoto do Direito, cujas teorias e estatutos foram avançando, e nossos tempos se veem imersos em terrível síndrome vingativa, alheios à grandeza ética da compaixão. Nossas sociedades se mostram, simultaneamente, algozes e vítimas. De um lado, as autoagressões da arestosa mentalidade consumista; de outro, gentes gemendo as dores dos seus descaminhos – em autovitimização.
Muitos são os aspectos éticos necessários à consideração do tempo atual, mas nenhum supera a faceta da compassividade em uma época seca e pragmática – ao mesmo tempo intolerante – como esta na qual agora vivemos.
Na presente obra, seu autor (filósofo e sociólogo), conquanto motivado por tristes fatos sociais, apresenta abordagem propriamente filosófica, ainda que mencione raízes e posições religiosas e irreligiosas. E, talvez na linha de pensamento de Lessing, de que "livros grandes podem ser grandes males", Regis de Morais aqui se apresenta preciso, enxuto e sem prolixismo. Que o leitor faça sua avaliação.