Perdas e Ganhos: o crescimento existencial

A vida tem suas sinuosidades e, mesmo, beiras de precipícios. Momentos ou fases de perplexidade muito freqüentemente gerados por diversos tipos de perdas.
Ora um espírito sensível sofre a ruptura com o acolhimento familiar, por lamentáveis desgastes de relacionamento conjugal; ora alguém principia a envelhecer, com duro sentimento de ter desperdiçado a vida e de se encaminhar, melancolicamente, para o crepúsculo e para uma noite desconhecida; ora, também, seres atônitos sentem ter perdido a si mesmos por labirintos narcísicos. E, na maior e mais cruel das perdas, muitos arrastam a saudade de filhos ou filhas mortos ainda crianças ou jovens (ou em qualquer idade). Algumas dessas vidas se sentem tombadas em inevitáveis precipícios, precisadas de um socorro de dimensões transcendentais.
Perdas são sempre perdas. Mas há uma dialética quase mágica na vida que, embora não diminua sofreres e saudades, faz muitos seres humanos crescerem em seu sofrimento. Algo como ganharem com as perdas, desde que se disponham a aprender com o sofrimento.
1a edição
Fevereiro/2007
R$30,00
Preço de capa
85-7670-046-8
ISBN
114
Páginas
140 x 210 mm
Formato
Abrir na LibriLaboris

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Apresentação Um Tema e Variadas Visões
Regis de Morais

Capítulo 1
Ganhando com as Perdas: da galáxia materna às relações conjugais
José Carlos Veras Di Migueli

Capítulo 2
Sobre a Maior das Perdas
Regis de Morais

Capítulo 3
A Perda da Inocência e a Criação do Pensamento: os mitos de édipo e do fruto Proibido
Roosevelt M. S. Cassorla

Capítulo 4
A Falta Essencial
Mauro Bilharinho Naves

Capítulo 5
Perdas e Ganhos: ressignificando a vida na terceira idade
Antonio Muniz de Rezende

Referencia

MORAIS, Regis de (org.). Perdas e Ganhos: o crescimento existencial. Campinas: Átomo, 2007.