Velhos Institucionalizados e Família: entre abafos e desabafos

Adriana de Oliveira Alcântara
A responsabilidade pelo cuidado do idoso que não pode sobreviver por si é uma questão extremamente delicada. A família é certamente o espaço a ser privilegiado, mas o Estado e outras instituições sociais não estão isentas de responsabilidade pelo amparo aos velhos - biológica, psicológica ou socialmente - desvalidos. As instituições de longa permanência são uma opção viável e uma necessidade social. Execrá-las como se fossem o inferno, considerar familiares e profissionais como algozes, ou mesmo aceitá-las como um mal necessário é não ter olhos para a enorme complexidade das relações envolvidas no cuidado familiar e formal de idosos. Monstros, insensíveis e exploradores não são rótulos que se encaixam perfeitamente a todos os profissionais de asilos. Não cabe aos filhos, sempre, rótulo de ingratos, insensíveis e desnaturados, ou então de amorosos, responsáveis e gratos. Nem todo idoso é apenas santo, vítima, ou desajustado e, definitivamente, a velhice não suscita qualidades e defeitos individuais e de relacionamento familiar que já não existissem antes. Essas são algumas considerações apresentadas neste sensível trabalho de Adriana Alcântara, que também adverte para a necessidade de a sociedade zelar pela qualidade material, social e afetiva das instituições para idosos.
Coleção Velhice e Sociedade
2a edição
Março/2010
R$41,00
Preço de capa
978-85-7516-378-8
ISBN
154
Páginas
140 x 210 mm
Formato
Abrir na LibriLaboris

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Prefácio
Introdução

Capítulo 1
O Velho e a Família

Capítulo 2
A Institucionalização da Velhice

Capítulo 3
A Decisão pela Institucionalização

Capítulo 4
Método: o Desenvolvimento da Pesquisa

      Selecionando os sujeitos e os dados
      Campo da pesquisa
      História oral: referencial teórico e metodológico

Capítulo 5
Resultados e Discussão: Entre Abafos e Desabafos, o Destino de um Grupo de Idosos Institucionalizados
      Arquivos constituídos a partir dos depoimentos dos velhos
      Arquivos constituídos a partir dos depoimentos dos filhos

Considerações Finais
Referências
Anexo