Realidades da Educação Profissional no Brasil

Eraldo Leme Batista e Meire Terezinha Müller (orgs.)
Na luta de classes, a educação formal escolar foi um dos aspectos que, em sua concretização, revelou muitos embates conflitantes. Desde a invenção burguesa da escola estatal para o povo, indevidamente chamada de escola pública, até as suas múltiplas conformações da atualidade, esse foi um palco de lutas. E, hoje, o grande desafio para a burguesia e os Estados que a representam é formar profissionalmente os trabalhadores, tendo em vista as novas exigências do mundo da produção.
1a edição
Janeiro/2015
R$57,00
Preço de capa
978-85-7516-721-2
ISBN
290
Páginas
16 x 23 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris
.

Sumário

Prefácio

Apresentação

PARTE I. Aspectos da Educação Profissional

Capítulo 1
Ontologia do Ser Social e Educação: para uma crítica do uso essencialista da categoria trabalho nas pesquisas educacionais brasileiras
Romeu Adriano da Silva

Capítulo 2
Educação para a Práxis: contribuições de Gramsci para uma pedagogia da educação profissional
Hélica Silva Carmo Gomes e Eraldo Leme Batista

Capítulo 3
O Princípio Educativo da Práxis: atualizando o debate teórico da relação trabalho e educação
Justino de Sousa Junior

Capítulo 4
Problematização, Trabalho Cooperativo e Auto-organização: possibilidades de procedimentos de ensino integrado
Ronaldo Marcos de Lima Araujo e Maria Auxiliadora Maués de Lima Araujo

Capítulo 5
A Acumulação Flexível no Brasil e suas Demandas de Qualificação da Força de Trabalho
Paulo César de Souza Ignácio

Capítulo 6
Trabalho, Educação e a Ideologia da Cidadania
Roberto Leme Batista

Capítulo 7
Educação Profissional, Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Científico-tecnológico
Zuleide S. Silveira

PARTE II. Movimentos Pontuais na Educação Profissional

Capítulo 8
A Educação Profissional no Brasil: análise sobre o centro ferroviário de ensino e seleção profissional – década de 1930
Eraldo Leme Batista

Capítulo 9
As SMO – Séries Metódicas Ocupacionais – como Estratégia Pedagógica Indispensável à Educação Profissionalizante do SENAI
Meire Terezinha Müller

Capítulo 10
Tempos “Modernos” no Brasil? O parque fabril brasileiro e as iniciativas senasianas
Desiré Luciane Dominschek

Capítulo 11
O “Intento Diferenciador” das Ações Governamentais por meio do Ensino Técnico a partir de 1946
Talita Bordignon

Capítulo 12
O Empresariado Industrial Nacional e Seus Projetos Educacionais: a dialética da formação humana entre as décadas de 1970 e 1980
Jane Maria dos Santos Reis

Capítulo 13
A Educação Profissional de Base Politécnica: desafio para o estado do Paraná
Joice Estacheski e Rita de Cássia da Silva Oliveira

Orelha

Face às grandes transformações do mundo da produção nos últimos cinquenta anos, fartamente referidas em vários capítulos desta obra, tornou-se necessário decifrar suas consequências para aqueles que as vivenciaram em lugar social subalterno, ou seja, os trabalhadores. O pressuposto, de forma evidente, são as relações que se estabelecem dialeticamente entre capital x trabalho e, por decorrência, a luta de classes. Na luta de classes, já se disse isso, a educação formal escolar foi um dos aspectos que, em sua concretização, revelou muitos embates conflitantes. Desde a invenção burguesa da escola estatal para o povo, indevidamente chamada de escola pública, até as suas múltiplas conformações da atualidade, esse foi um palco de lutas. E, hoje, o grande desafio para a burguesia e os Estados que a representam é formar profissionalmente os trabalhadores, tendo em vista as novas exigências do mundo da produção.

José Luís Sanfelice

Veja Também