Sugestões para a Sala de Aula: O Menino e o Dragão

José Auri Cunha (org.)
No primeiro encontro, o professor lê a primeira parte da história: A hora do dragão, explorando a expressividade da fala, dos gestos, de materiais diversos. Pode-se propor a montagem de uma maquete ou de um mural com a paisagem que se imagina a partir da pequena descrição do vilarejo.
A criança recebe seu livro após a leitura pelo professor e poderá ter um tempo só para exploração deste. É importante deixar que vejam e que expressem suas sensações ao manusearem o livro.
Após a exploração de cada nó, o professor deve entregar os livros para as crianças acompanharem a leitura que ele fará novamente. Essa retomada da história visa garantir o eixo narrativo e permitir o encantamento, degustação e confronto da criança com o texto, enquanto provoca sempre novas conversas.
Coleção Histórias que Rendem Boas Conversas...
1a edição
Fevereiro/2008
R$8,00
Preço de capa
978-85-7670-089-0
ISBN
48
Páginas
140 x 210 mm
Formato
Abrir na LibriLaboris

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Apresentação

Como filosofar a partir de Histórias que Rendem Boas Conversas

Parte 1 - A hora do dragão

1º Nó
: A regra do dragão

2º Nó: Histórias de arrepiar

3º Nó: ...A família que tinha...

4º Nó: O escuro e seus mistérios...

Parte 2 - Uma idéia puxa a outra...

5º Nó: Caco faz uma provocação através de uma hipótese: 'E se...'

6º Nó: O olhar curioso não disfarçava a intenção...

7º Nó: Há coisas em que acreditamos sem ver

Parte 3 - O menino e o Dragão

8º Nó: Caco pôs o plano em ação...

9º Nó: 'O que direi para mim mesmo sem um adulto para me orientar...'

10º Nó: Essa não! Por essa eu não esperava!

11º Nó: o nome da gente faz cada um diferente...

12º Nó: A cidade se mobilizava para salvar o menino...
Gente quando está em turma faz coisas de se estranhar!

13º Nó: O dia seguinte chegou diferente...