Psicologia Política Crítica: Insurgências na América Latina

Este livro é o ponto de partida de debates sobre a constituição da Psicologia Política Crítica como uma vertente latinoamericana com larga tradição de estudos, entretanto pouco visibilizada e, de certa forma, marginal e outsider na universidade.
Impulsionada pelas lutas libertárias contra oligarquias arcaicas, ditaduras opressoras, contradições sociais e o projeto neoliberal, a Psicologia Política latinoamericana modificou-se e singularizou-se. Diferentemente do que ocorreu na Europa e nos Estados Unidos, ela desenvolveu um aspecto peculiar: abandonou o discurso de uma suposta neutralidade e assumiu claramente um posicionamento político direcionado à autonomia e à transformação social.

1a edição
Junho/2016
R$46,00
Preço de capa
978-85-7516-766-3
ISBN
148
Páginas
16 x 23 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Apresentação
Psicologia Política Crítica: insurgências em tempos de crise
Domenico Uhng Hur e Fernando Lacerda Júnior

Capítulo 1
Crise e Insurgência, Controle da Subversão e Subversão do Controle: o papel da Psicologia Política
Elio Rodolfo Parisí

Capítulo 2
Para uma Redefinição Marxista da Psicologia Política
David Pavón-Cuéllar

Capítulo 3
Insurgência, Psicologia Política e Emancipação Humana
Fernando Lacerda Júnior

Capítulo 4
Ontologia Negativa e o Político: contribuições para a Psicologia Política
Frederico Viana Machado e Frederico Alves Costa

Capítulo 5
Cidadania e Ação Política: as marchas pela dignidade
Xiana Vilas, Cristina Gómez-Román e José Manuel Sabucedo

Capítulo 6
A Psicologia (Crítica) Permanentemente na Encruzilhada: servos do poder ou ferramentas para a emancipação?
Athanasios Marvakis

Capítulo 7
Agenciamentos Psicopolíticos: estratopolítica, tecnopolítica e nomadopolítica
Domenico Uhng Hur

Capítulo 8
Micropolíticas Revolucionárias e Insurgências Macropolíticas: devir imanência/ser dialética
Gregório Esteban Kazi

Capítulo 9
Psicologia Política Latino-Americana: reflexões sobre seu lugar e desafios
Hugo Adrián Morales

Orelha

Este livro é o ponto de partida de debates sobre a constituição da Psicologia Política Crítica como uma vertente latinoamericana com larga tradição de estudos, entretanto pouco visibilizada e, de certa forma, marginal e outsider na universidade.
Impulsionada pelas lutas libertárias contra oligarquias arcaicas, ditaduras opressoras, contradições sociais e o projeto neoliberal, a Psicologia Política latinoamericana modificou-se e singularizou-se. Diferentemente do que ocorreu na Europa e nos Estados Unidos, ela desenvolveu um aspecto peculiar: abandonou o discurso de uma suposta neutralidade e assumiu claramente um posicionamento político direcionado à autonomia e à transformação social.
Não se trata, portanto, de uma Psicologia Política despolitizada, ao contrário, há, nela, um enfoque crítico, político e que não tem compromissos com o Estado e as classes dominantes, mas com setores da sociedade que, organizados em diversos movimentos sociais, lutam contra o regime de exploração e opressões históricas. Portanto, a Psicologia Política latinoamericana tem como grito de guerra o “Ya Basta” zapatista.
Tal verve insurgente e insubordinada fez que surgisse um campo inédito que denominamos Psicologia Política Crítica. É a materialização acadêmica de um conjunto de saberes de grupos sociais contra o Estado, no qual as teorias são as ferramentas conceituais de combate e produção de alternativas diante do que está instituído. Afirma explicitamente seu potencial crítico e militante, seguindo o projeto ético-político da transformação nos âmbitos psíquico e/ ou social. É fruto de um desassossego, de uma inquietude com o presente, e aposta no método da insurgência como dispositivo de expressão, potencialização e mutação.
Os autores desta obra, de diferentes países, convidam os leitores a fazerem parte deste projeto ético-político de transformação e, com isso, quem sabe, possam modificar a própria Psicologia, com práticas alicerçadas na construção de outros mundos e subjetivações possíveis.

Referencia

HUR, Domenico Uhng; LACERDA JUNIOR, Fernando (orgs.). Psicologia Política Crítica: Insurgências na América Latina. Campinas: Alínea, 2016.
Outros livros do(s) autor(es)
  1. Psicologia Social para a América Latina: o resgaste da psicologia da libertação
    Psicologia Social para a América Latina: o resgaste da psicologia da libertação
    Raquel Souza Lobo Guzzo e Fernando Lacerda Júnior (org.)
  2. Psicologia & Sociedade: interfaces no debate sobre a questão social
    Psicologia & Sociedade: interfaces no debate sobre a questão social
    Fernando Lacerda Jr. e Raquel S. L. Guzzo (orgs.)
  3. Psicologia Política: temas atuais de investigação
    Psicologia Política: temas atuais de investigação
    Salvador Antonio Mireles Sandoval, Domenico Uhng Hur e Bruna Suruagy do Amaral Dantas (orgs.)
Veja Também