O Lugar da Educação na Modernidade Luso-Brasileira no final do século XIX e início do século XX

O livro discute as iniciativas levadas à frente, no campo educacional, por Brasil e Portugal. Para tanto, a abordagem realizada tomou como referências duas cidades: Uberabinha (Brasil) e Mafra (Portugal). Esse recorte espacial se justifica em razão da mudança de regime de governo (monárquico para republicano) que ocorreu nos dois países e trouxe como proposta o ideário moderno de educação, pelo menos em termos de propostas.

1a edição
Novembro/2012
R$40,00
Preço de capa
978-85-7516-610-9
ISBN
208
Páginas
14 x 21 cm
Formato
Português
Idioma
.

Sumário

Apresentação

Introdução

Capítulo 1
República, Educação e Modernidade no Brasil e em Portugal
Considerações iniciais sobre modernidade, moderno e modernização
Educação e república no Brasil
Reformas do ensino na república brasileira
Portugal no mundo do século XIX
Reformas do ensino na república portuguesa
Educação em Portugal: do global ao local

Capítulo 2
Minas Gerais e a Organização Nacional da Educação
Sociedade e educação no Brasil Republicano
Urbanização e educação na Minas Republicana
Reforma João Pinheiro: grupo escolar e a modernidade pedagógica
Reforma Francisco Campos: a modernidade do mundo urbano industrial

Capítulo 3
O Lugar do Município na Modernidade Luso-brasileira: ações educacionais em Uberabinha e Mafra
Panorama histórico-educacional de Uberabinha
Panorama histórico-educacional de Mafra

Considerações Finais

Referências

Orelha

O analfabetismo foi visto como fator gerador de problemas econômicos e sociais no Brasil e em Portugal no fim de século XIX e no começo do século XX. Inversamente, a educação escolar foi vista como fator central para que esses países progredissem e se modernizassem. Alvo do descaso da monarquia de cá e de lá, a educação do povo, ou a extinção do analfabetismo, esteve na pauta dos agentes políticos da primeira República brasileira e dos republicanos de Portugal (embora, lá, a República tenha sido instaurada algumas décadas após a monarquia dar lugar ao republicanismo aqui). A autonomia relativa e os princípios de descentralização advindos do governo republicano puseram em pauta a instrução pública, que ganhou importância, pelo menos discursivamente, na estruturação política, econômica, social e cultural de ambos os países. Ela se alinhava aos ideais de democracia, progresso e ordem – princípios do liberalismo. Passou a ser vista pela elite governamental como via de ascensão social e sustentação do chamado Estado democrático de direito. Por isso, mas não só, verifica-se um movimento expressivo pró-educação pública no Brasil e em Portugal.
Neste sentido, o livro O Lugar da Educação na Modernidade Luso-Brasileira no final do século XIX e início do XX, tem a intenção de discutir as iniciativas levadas à frente, no campo educacional, por Brasil e Portugal. Para tanto, a abordagem realizada tomou como referências duas cidades: Uberabinha (Brasil) e Mafra (Portugal). Esse recorte espacial se justifica em razão da mudança de regime de governo (monárquico para republicano) que ocorreu nos dois países e trouxe como proposta o ideário moderno de educação, pelo menos em termos de propostas.
Assim, com a República, emerge um debate intenso sobre a expansão do ensino público, o qual ganha ressonância no âmbito municipal; prova disso são os numerosos decretos e leis relativos à necessidade de se implantar a escola pública nas duas cidades, isto é, a educação passa a ser considerada como condição sine qua non para se chegar à moderni-dade.

Referencia

CARVALHO, Carlos Henrique de; CARVALHO, Luciana Beatriz de Oliveira Bar de. O Lugar da Educação na Modernidade Luso-Brasileira no final do século XIX e início do século XX. Campinas: Alínea, 2012.
Outros livros do(s) autor(es)
  1. Estado, Igreja e Educação: o mundo ibero-americano nos séculos XIX e XX
    Estado, Igreja e Educação: o mundo ibero-americano nos séculos XIX e XX
    Carlos Henrique de Carvalho e Wenceslau Gonçalves Neto (orgs.)
  2. O Município e a Educação no Brasil: Minas Gerais na primeira república
    O Município e a Educação no Brasil: Minas Gerais na primeira república
    Wenceslau Gonçalves Neto e Carlos Henrique de Carvalho (orgs.)
  3. Cinema e Ensino de História da Educação
    Cinema e Ensino de História da Educação
    Sauloéber Társio de Souza, Carlos Henrique de Carvalho, Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro (orgs.)
Veja Também