Ensino Médio: à luz do pensamento de Gramsci

Trata-se de uma proposta que se opõe à tendência atual de tornar o Ensino Médio cada vez mais 'prático' e, para tanto, mais profissionalizante, ainda que alegadamente integrado ao Ensino Médio regular. Corolário importante: a maioria dos adolescentes brasileiros, por razões imediatistas, é forçada a 'escolher' um ensino precocemente profissionalizante, contrariando a razão mais recôndita em sua consciência, isto é, a de se tornarem homens magnânimos e livres.

1a edição
Março/2016
R$50,00
Preço de capa
978-85-7516-762-5
ISBN
180
Páginas
16 x 23 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Ao Leitor

Prefácio
Antônio Joaquim Severino

Capítulo 01
O Ensino de 2º Grau

Capítulo 02
Para Além da Formação Politécnica
Justificativa
Esclarecimento dos termos e fontes de estudo
A crítica
A proposta
Conclusão

Capítulo 03
Ensino Médio: em busca do princípio pedagógico
Premissa
O Ensino Médio no Brasil
Em busca do princípio pedagógico
Conclusão (em outra linguagem)

Capítulo 04
Ensino Médio: unitário ou multiforme?
Função estratégica do Ensino Médio
O unitário e o multiforme do Ensino Médio
Epílogo

Capítulo 05
Ensino Médio e Educação Profissionalizante
Introdução
Uma realidade da educação profissional
Ensino Médio: unitário ou multiforme?
Em tempo de se contrapor
Entre o canto do rouxinol e da cotovia

Capítulo 06
A Escola de Gramsci: 22 anos depois
A questão ideológico-partidária
A questão linguística
A questão do historicismo e da dialética
A questão da escola unitária do trabalho

Posfácio I. Ensino Médio Muito Abaixo da Média: quem não se integra é excluído, quem se integra é destruído
João Virgílio Tagliavini

Posfácio II. Leitura de um Orientando
Vagno Emygdio Machado Dias

Posfácio III. Ensino Médio: formação geral ou profissional?
Jarbas Mauricio Gomes

Referências

Bibliografia

Orelha

A tese deste livro é a de que, aos adolescentes do Ensino Médio, de 15 a 18 anos, deve ser garantida, no turno e contraturno escolar, formação de cultura geral, nacionalmente unitária, humanista e moderna, de elevada qualidade. Trata-se de uma proposta que se opõe à tendência atual de tornar o Ensino Médio cada vez mais 'prático' e, para tanto, mais profissionalizante, ainda que alegadamente integrado ao Ensino Médio regular. Corolário importante: a maioria dos adolescentes brasileiros, por razões imediatistas, é forçada a 'escolher' um ensino precocemente profissionalizante, contrariando a razão mais recôndita em sua consciência, isto é, a de se tornarem homens magnânimos e livres. Quando a necessidade da família os empurra para algum atalho escolar, cabe ao governo intervir remunerando o trabalho/estudo que eles realizam no Ensino Médio, garantindo-lhes, assim, sem assistencialismos ou subterfúgios didáticos, os anos da essencial indefinição profissional, direito natural dessa fase etária.

Referencia

NOSELLA, Paolo. Ensino Médio: à luz do pensamento de Gramsci. Campinas: Alínea, 2016.
Veja Também