Agroecologia e educação do campo (Volume 2)

Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco, Marcia Regina de Oliveira Andrade, Julieta Teresa Aier de Oliveira, Vanilde Ferreira de Souza-Esquerdo, Maria Dalva Oliveira Soares, Kellen Maria Junqueira

Agroecologia e Educaçao do Campo, neste segundo volume, discute ao longo de seus capítulos cinco temas gerais: a educação do campo e extensão rural; a organização social; políticas públicas voltadas para a agricultura familiar; questões de gênero e de geração; cultura, comunicação e arte. A presente obra, na esteira da anterior, contempla as mudanças no campo brasileiro nas últimas décadas, as quais trazem à tona questões que exigem a adoção de opções teóricas e metodológicas que deem conta de trilhar o caminho para um modelo de desenvolvimento sustentável, voltado às populações do campo e à formação continuada dos extensionistas e dos agricultores.

1a edição
Fevereiro/2020
R$98,00
Preço de capa
978-85-7670-264-1
ISBN
412
Páginas
18 x 25cm
Formato
Português
Idioma
DISPONÍVEL EM E-BOOK
Abrir na LibriLaboris
Abrir na Amazon.com

Exclusivo para Professores

Solicite um exemplar para análise com 50% de desconto sobre o preço de capa.

.

Sumário

Prefácio

Apresentação

PARTE 1. Educação do campo e extensão rural

01. Agroecologia, reforma agrária, agricultura familiar e educação do campo na percepção de mulheres do assentamento Sumaré II
Lucilene Cruz da Silva, Julieta Teresa Aier de Oliveira e Maria Dalva Oliveira Soares 

02. O Pronera e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no acampamento Elizabeth Teixeira: as vozes que ecoam da sala de aula
Gabriela Furlan Carcaioli e Marcia Regina de Oliveira Andrade

03. Comunicação rural: construção do conhecimento agroecológico no assentamento rural Santa Helena, São Carlos-SP
Paulo Rogério Lopes e Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

04. Educação popular e agroecologia como teoria e prática de extensionistas-educadores
Theo Martins Lubliner e Wilon Mazalla Neto

PARTE 2. Organização social no meio rural

05. Limites e potencialidades da cooperação no assentamento Bela Vista do Chibarro, Araraquara-SP: o caso da COOBELA
Enedina Ferreira de Andrade e Wilon Mazalla Neto

06. Organização coletiva em assentamentos rurais: um estudo sobre o associativismo no assentamento Milton Santos-SP
Ellen Gallerani Corrêa e Julieta Teresa Aier de Oliveira

07. Organização de controle social como ferramenta de fomento à agroecologia no assentamento Loiva Lurdes-SP
Igor Graciano, Leonardo de Barros e Maristela Simões do Carmo

08. De Organização de Controle Social – OCS a Sistema Participativo de Garantia – SPG: um estudo sobre a Cooperativa da Agricultura Familiar e Agroecológica – COOPERACRA
Maria Madalena Izoton, Julieta Teresa Aier de Oliveira e Carolina Rios Thomson

PARTE 3. Políticas públicas voltadas para a agricultura familiar

09. O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no assentamento Sumaré II
Ana Luisa Araújo de Oliveira e Vanilde Ferreira de Souza-Esquerdo

10. Produção agroecológica e políticas públicas no assentamento Loiva Lourdes, Borebi-SP
André Luiz de Souza e Maristela Simões do Carmo

11. Agricultura familiar e dinâmica de mercado: um estudo sobre mecanismos de comercialização da COOPERACRA – Americana-SP
José Aparecido Pereira e Vanilde Ferreira de Souza-Esquerdo

12. O acesso ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) pela agricultura familiar: uma avaliação baseada no assentamento 23 de Maio – Itapetininga-SP
Francine de Camargo Procópio e Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

PARTE 4. Gênero e geração

13. Agroindústria familiar em assentamentos rurais: o estudo da Panela Doce, assentamento Reunidas, Promissão-SP
Fernanda de Carvalho Peixoto Cardoso, Marcia Regina de Oliveira Andrade e Julieta Teresa Aier de Oliveira

14. Trabalho e relações de gênero no campo: a vivência com o grupo de mulheres do assentamento Rosa Luxemburg e do acampamento Luiz Beltrame, Agudos/Iaras-SP
Suelyn Cristina Carneiro da Luz e Maristela Simões do Carmo

15. Um olhar sobre o envelhecimento no campo: o caso do assentamento Milton Santos – Americana-SP
Danitielle Cineli Simonato e Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

PARTE 5. Cultura, comunicação e arte

16. Poesias camponesas: história de vida do Sr. João José de Souza, fundador da COOPERACRA
Luana Maria Mendes Pedron e Maria Dalva Oliveira Soares

17. Campesinato e educação popular na constituição do processo crioulo de produção simbólica
Marcelo Vaz Pupo, Kellen Junqueira e Luciana Henrique da Silva

18. O teatro do oprimido na agroecologia: uma prática participativa
Tiê Nogueira Figueiroa, Kellen Maria Junqueira e Suzana Marques Rodrigues Alvares

Orelha

Educação do Campo e Agroecologia são duas vertentes que muito têm contribuído para a reflexão sobre a prática extensionista, as matrizes tecnológicas dos processos produtivos agroecológicos, o protagonismo do agricultor familiar e seus saberes e experiências na agricultura. A considerar a diversidade identitária e cultural dos habitantes do campo, é preciso estabelecer uma nova relação entre o homem e a natureza que contemple a questão ambiental, sobretudo no que diz respeito à preservação dos recursos naturais.

Tendo em vista a ciência segmentada como a de que dispomos e a sociedade capitalista em que vivemos − uma vez que as próprias instituições que formam profissionais da agricultura e os programas governamentais nessa área reproduzem modelos que podem prejudicar o meio ambiente e a permanência saudável do homem no campo − a adoção de princípios agroecológicos representa grande desafio.

É com o intuito de abrir caminhos para enfrentá-lo que trazemos este volume 2 da coletânea de artigos produzidos no Curso de Especialização Educação do Campo e Agroecologia na Agricultura Familiar e Camponesa, realizado na Faculdade de Engenharia Agrícola da Unicamp, fazendo parte do Programa Nacional de Educação do Campo: formação de estudantes e qualificação de assistência técnica.

As atividades de pesquisas e extensão em campo, sustentadas pela base teórica das aulas, foram viabilizadas por meio da parceria e participação da Faculdade de Ciências Agronômicas Unesp/Botucatu; Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Unesp/Jaboticabal e Universidade Federal de São Carlos, campus Lagoa do Sino, em Buri, todas no estado de São Paulo, e o projeto educativo estava circunscrito no âmbito e nos marcos do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera).  Apresentando novas perspectivas do trabalho de educação do campo e agroecologia, este livro traz a interação entre educação do campo e extensão rural como um dos principais aspectos levantados, que reúne discussões a respeito de agroecologia, reforma agrária, agricultura familiar e educação do campo (assunto de extrema importância para os formuladores de políticas públicas, pesquisadores e extensionistas); educação de jovens e adultos e o papel e a formação do extensionista educador como um agente mobilizador e transformador da sociedade.

 A organização social no meio rural é um tema também destacado, que faz emergirem reflexões sobre os limites e potencialidades da cooperação e da autogestão entre agricultores e familiares assentados, práticas analisadas por meio de um viés histórico baseado nas abordagens marxista e da economia solidária, com estudos empíricos realizados em organizações formais. A certificação dos produtos orgânicos e agroecológicos é também discutida nessa temática.

As políticas públicas voltadas para a agricultura familiar sobressaem nestes estudos, especialmente os programas de comercialização da produção familiar como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), considerados da maior relevância nas últimas décadas.

Questões de gênero e geração também são especialmente levantadas conduzindo-nos à constatação de que, apesar da politização existente nos assentamentos e acampamentos rurais, as desigualdades de gênero em relação ao trabalho ainda persistem nesses locais. A presença das mulheres no mercado de trabalho assalariado, tanto no espaço urbano como no rural, não lhes tirou a responsabilidade das tarefas caseiras e as atividades produtivas realizadas por elas no campo, muitas vezes, são consideradas como extensão do trabalho doméstico.

Cultura, comunicação e arte finalizam esta publicação em alto estilo, dando espaço e voz a outras formas de linguagem que dialogam com o trabalho acadêmico.

Assim, a presente obra, na esteira da anterior, contempla as mudanças no campo brasileiro nas últimas décadas, as quais trazem à tona questões que exigem a adoção de opções teóricas e metodológicas que deem conta de trilhar o caminho para um modelo de desenvolvimento sustentável, voltado às populações do campo e à formação continuada dos extensionistas e dos agricultores.

Professores, estudantes e profissionais de agroecologia e a áreas afins certamente encontrarão nestes textos um material atual, abrangente e que aponta possibilidades de uma atuação que vise não só à produtividade, mas à qualidade de vida e à valorização da cultura do homem do campo.

Veja Também