Entrada da Criança na Escola e Período de Adaptação

Cristina Helena Guimarães Sartori

A entrada da criança na escola traz sempre alguns embaraços para aqueles que participam dessa passagem: os pais, as crianças e a escola, na figura de seus professores. Entender tal processo como uma rede de relações não apenas implica diferentemente todos os que dele participam, como também torna necessária a definição do papel que cada um desempenhará nesse momento.

2a edição
Revisada
Janeiro/2016
R$33,00
Preço de capa
978-85-7516-756-4
ISBN
120
Páginas
14 x 21 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris
.

Sumário

Prefácio

Introdução

1. Psicanálise e Educação
2. Os Pais, a Criança e a Escola
3. Elementos Fundamentais da Relação Mãe-criança
4. Origens da Pré-escola
5. Aspectos Relevantes para a Escola Considerar
6. Considerações Finais

Referências

Orelha

A entrada da criança na escola traz sempre alguns embaraços para aqueles que participam dessa passagem: os pais, as crianças e a escola, na figura de seus professores. Entender tal processo como uma rede de relações não apenas implica diferentemente todos os que dele participam, como também torna necessária a definição do papel que cada um desempenhará nesse momento.
Parece não ser possível a observação de procedimentos comuns de recepção das crianças recém-chegadas, pois cada escola elabora sua maneira de recebê-las. Todo tipo de variação que pode ser verificado nesse âmbito advém das particularidades de cada proposta pedagógica, pois é com base na visão que tem da criança que a escola pode optar por fazer, ou não, um período específico para a adaptação, bem como elaborar a maneira pela qual tal processo vai acontecer.
O presente estudo oferece condições de pensarmos a iniciação em um ambiente escolar à luz dos conceitos psicanalíticos, de forma que se fundamente o que está em jogo nessa passagem da criança, uma vez diferenciadas e definidas as funções da escola e dos pais. Entendemos, portanto, que esse processo é regido pela seguinte lógica: aos pais, cabe introduzir e dar sustentação para o filho nesta nova realidade: a escola, à criança, cabe um tempo para compreender e assimilar a realidade da escola, até que possa estabelecer novos laços, e à escola cabe acolher a criança mediante uma proposta pedagógica, materiais e recursos humanos bem-preparados, assim como orientar e esclarecer os pais.