Políticas Públicas Educacionais

Maria José Aviz do Rosário e Ronaldo Marcos de Lima Araújo
Este livro apresenta, em seus capítulos, de maneira diferenciada, rica e plural, a contribuição de seus autores para a construção de novos conhecimentos na temática. Na contramão de uma educação crescentemente tornada mercadoria e fonte de desmesurada lucratividade, mantemos a esperança de que, transformada em uma trincheira de luta, a educação contribua para rasgar a camisa-de-força da lógica incorrigível do capital, nos ajudando a sinalizar o caminho para uma consistente estratégia de construção de um mundo para além do capital.
2a edição
Revisada
Julho/2011
R$36,00
Preço de capa
978-85-7516-473-0
ISBN
158
Páginas
14 x 21 cm
Formato
Português
Idioma
Abrir na LibriLaboris
.

Sumário

Apresentação

Capítulo 1
O Trabalho como Princípio Pedagógico em Marx, Lênin e Gramsci e sua Problemática na Atualidade

Paolo Nosella
Elinilze Guedes Teodoro

Capítulo 2
Formação de Docentes para a Educação Profissional e Tecnológica: por uma pedagogia integradora da educação profissional

Ronaldo Marcos de Lima Araujo

Capítulo 3
A Organização do Ensino Público Primário de Belém-PA - 1930-1937 projeto político-educacional

Maria José Aviz do Rosário

Capítulo 4
Autonomia da Escola Pública: diferentes concepções em embate no cenário educacional brasileiro

Antônio Cabral Neto
Luis Carlos Marques Sousa

Capítulo 5
A Avaliação Institucional como Política Pública

Olgaíses Maués

Capítulo 6
Elitismo e Exclusão na Educação Brasileira

Amarilio Ferreira Jr.
Marisa Bittar

Sobre os Autores

Orelha

O livro Políticas Públicas Educacionais apresenta, em seus capítulos, de maneira diferenciada, rica e plural, a contribuição de seus autores para a construção de novos conhecimentos na temática.

Reiterando as palavras do professor José Claudinei Lombardi, esperamos que esta leitura motive ainda mais a elucidar os contraditórios caminhos e descaminhos per-corridos pela política educacional brasileira. Por um lado, mostrando como a educação expressa a lógica do capital e da burguesia, por outro, como a educação pode contribuir para a emergência de um novo homem e de uma nova sociedade. 

Na contramão de uma educação crescentemente tornada mercadoria e fonte de desmesurada lucratividade, mantemos a esperança de que, transformada em uma trincheira de luta, a educação contribua para rasgar a camisa de força da lógica incorrigível do capital, nos ajudando a sinalizar o caminho para uma consistente estra-tégia de construção de um mundo para além do capital.