As Escolas Normais no Brasil: do império à república

José Carlos Souza Araujo, Anamaria Gonçalves Bueno de Freitas e Antônio de Pádua Carvalho Lopes

As escolas configuram-se como locais especialmente criados para viabilizar a adequada aprendizagem das novas gerações. Com a disseminação e, finalmente, a consolidação dessas instituições em sistemas nacionais destinados a prover a instrução de toda a população, surgiu a necessidade de se assegurar um preparo, também específico e apropriado, dos professores que iriam se responsabilizar pelo ensino no interior dos sistemas escolares. Disso decorreu a iniciativa de se criarem instituições escolares especificamente voltadas para a formação de professores, que − desde a Convenção, instalada entre 1792 e 1795, após a Revolução Francesa − tenderam a receber o nome de Escolas Normais.

2a edição
Revisada
Dezembro/2017
R$85,00
Preço de capa
978-85-7516-799-1
ISBN
408
Páginas
18 x 25 cm
Formato
Português
Idioma
DISPONÍVEL EM E-BOOK
Abrir na LibriLaboris
Abrir na Amazon.com
.

Sumário

Prefácio

Apresentação
À Guisa de um Inventário sobre as Escolas Normais no Brasil: o movimento histórico-educacional nas unidades provinciais/federativas (1835-1960)
José Carlos Souza Araujo, Anamaria Gonçalves Bueno de Freitas e Antonio Pádua Carvalho Lopes

Capítulo 1
A Primeira Escola Normal do Brasil: concepções sobre a institucionalização da formação docente no século XIX
Heloísa de Oliveira Santos Villela

Capítulo 2
A Escola Normal na Província da Bahia
Lucia Maria da Franca Rocha

Capítulo 3
Escola Normal de Cuiabá: formar professores para lapidar almas
Nicanor Palhares Sá e Elizabeth Figueiredo de Sá

Capítulo 4
Escola Normal de São Paulo do Império: entre a metáfora das luzes e a história republicana
Marcia Hilsdorf Dias

Capítulo 5
A Escola Normal de São Paulo, Entre o Nós e o Outro
Maria Lúcia S. Hilsdorf

Capítulo 6
Um Viveiro Muito Especial: Escola Normal e profissão docente no Piauí
Antônio de Pádua Carvalho Lopes

Capítulo 7
Escola Normal no Rio Grande do Sul, Século XIX
Flávia Obino Corrêa Werle

Capítulo 8
A Escola Normal no Paraná: instituição formadora de professores e educadora do povo
Maria Elisabeth Blanck Miguel

Capítulo 9
As Escolas Normais da Província: a organização do ensino normal em Sergipe durante o século XIX
Anamaria Gonçalves Bueno de Freitas e Jorge Carvalho do Nascimento

Capítulo 10
A Gênese, a Implantação e a Consolidação da Escola Normal no Espírito Santo
Regina Helena Silva Simões, Cleonara Maria Schwartz e Sebastião Pimentel Franco

Capítulo 11
Considerações Sobre a Escola Normal e a Formação do Professor Primário no Rio Grande do Norte (1839-1938)
Marta Maria de Araújo, Luciene Chaves de Aquino e Thaís Christina Mendes de Lima

Capítulo 12
A Constituição da Escola Normal do Ceará em Documentos Oficiais e no Discurso Jornalístico
Maria Goretti Lopes Pereira e Silva

Capítulo 13
A Escola Normal que Virou Instituto de Educação: a história da formação do professor primário no Rio de Janeiro
Liéte Oliveira Accácio

Capítulo 14
Lá Vem o Bonde das Normalistas... Uma incursão pelo cotidiano escolar do Instituto de Educação do Rio de Janeiro na década de 1930
Diana Gonçalves Vidal

Capítulo 15
O Curso Normal em Santa Catarina: o processo de construção de um projeto de formação de professores coadunado com os ideais de nacionalização e “cientifização” do ensino
Maria das Dores Daros e Leziany Silveira Daniel

Capítulo 16
Formação Histórica da Escola Normal da Paraíba
Wojciech Andrzej Kulesza

Capítulo 17
Escola Normal de Goiás: nascimento, apogeu, ocaso, (re)nascimento
Iria Brzezinski

Capítulo 18
Escola Normal: uma instituição tardia no Maranhão
Diomar das Graças Motta e Iran de Maria Leitão Nunes

Capítulo 19
Formação de Professoras no Instituto Ponte Nova
Ester Fraga Vilas-Bôas Carvalho do Nascimento

Capítulo 20
A Gênese da Escola Normal de Uberlândia, MG: o contexto estadual e a independência cultural em 1926
José Carlos Souza Araujo

Capítulo 21
História da Escola Normal no Estado de Mato Grosso: implantação e consolidação no sul do estado
Margarita Victoria Rodríguez e Regina Tereza Cestari de Oliveira

Capítulo 22
Escola Normal de Brasília: a formação de professores na perspectiva da modernidade
Eva Waisros Pereira

Orelha

As escolas configuram-se como locais especialmente criados para viabilizar a adequada aprendizagem das novas gerações. Com a disseminação e, finalmente, a consolidação dessas instituições em sistemas nacionais destinados a prover a instrução de toda a população, surgiu a necessidade de se assegurar um preparo, também específico e apropriado, dos professores que iriam se responsabilizar pelo ensino no interior dos sistemas escolares. Disso decorreu a iniciativa de se criarem instituições escolares especificamente voltadas para a formação de professores, que − desde a Convenção, instalada entre 1792 e 1795, após a Revolução Francesa − tenderam a receber o nome de Escolas Normais.

A presente obra, reunindo distintos pesquisadores em estudos histórico-educacionais, apresenta uma coletânea sobre história da Escola Normal no Brasil, a qual privilegia a gênese, a implantação e a consolidação das Escolas Normais em diferentes províncias e/ou estados brasileiros, respectivamente nos períodos imperial e republicano, considerando-se as heterogeneidades desse panorama: cada uma das escolas aqui estudadas sinaliza singularidades , bem como suas ressonâncias locais, regionais, estaduais ou mesmo nacionais. Por outro lado, indicam elas também a existência de um projeto em torno da formação do professor. Ainda que tal projeto não tenha sido objeto de um plano nacional, ou mesmo de um concerto de ordem educativa, a emergência das diferentes Escolas Normais ocorreu por necessidades e exigências de ordem educativo-escolar, também discutidas nos textos.

Procurando, ainda, contribuir para a compreensão da disseminação dessa modalidade de formação no Brasil, são abordados documentos, leis, métodos, propostas e iniciativas a fim de perceber as relações entre o processo de implantação das escolas normais e a constituição do campo profissional do magistério. Destacam-se também as diferentes reformas da instrução pública na segunda metade do século XIX e suas principais influências no currículo e na organização da formação de professores, bem como o papel desempenhado por educadores, políticos e outros personagens históricos relevantes nesse processo.

Desse modo, este livro socializa resultados de pesquisas que representam um importante passo adiante na historiografia da educação brasileira: o trabalho com a história das instituições educativas regionais e locais, conhecimento fundamental para todos os profissionais que atuam na escola e desejam conhecê-la e aperfeiçoá-la.

Veja Também